O Mapa

Com muitas informações na página inicial, o mapa surgiu a partir de relatos de assassinatos contra homossexuais no Brasil. Através dele, é possível saber, por exemplo, o local exato onde a vítima foi morta. Já em outros casos, o crime pode ter ocorrido em um local próximo, por isso o asterisco (*) em alguns pontos do mapa. Provavelmente, o marcador limita-se apenas  à rua ou ao bairro. Isso poderia acontecer por diversas razões: o mapa do Google não reconhece o endereço (acontece em cidades bem pequenas), o endereço certo não foi reconhecido, ou o endereço foi protegido para preservar os parentes da vítima. Se o nome tem dois asteriscos (**), significa que somente a cidade é conhecida. A maioria dos casos de suicídio são assim.

O mapa também tem cores e formas. As cores representam grupos diferentes das pessoas LGBT: vermelho = homossexual, laranja = lésbica, amarelo = trans (trans-masc e trans-fem), azul = travesti, e roxo = heterossexual. Casos de heterossexuais só foram incluídos quando eles tinham algo relacionado com uma pessoa LGBT. As informações sobre as categorias são do site do Grupo Gay da Bahia. Muitos sites de notícias não usam as palavras corretas para essas pessoas, por exemplo, chamando uma travesti de “homossexual”. As formas representam a raça da pessoa: quadrado = branco, círculo = pardo, e estrela = negro. Se o marcador não tem uma forma diferente, a raça não foi reconhecida ou relatada.

Por favor, se você souber de  algo sobre um caso específico  (especialmente sobre a localização), manda um mensagem na página  “Contact”.

Advertisements